GOBULLING nas 1.000 Milhas de Bombarral

A GOBULLING teve mais uma participação numa prova de resistência, desta feita nas 1.000 Milhas do Bombarral, com uma equipa composta pelos seguintes elementos :

GESTÃO BOX
Luís Barbosa, Tiago Fleming, Miguel Salazar
PILOTOS 
Eurico Fonseca, Gilberto Brito, João Araújo, Jorge Azevedo, Jorge Ribeiro, Luís Gonçalves, Mário Dias, - Paulo Mendes, Reinaldo Fonseca, Vítor Fernandes
TODOS COM VONTADE DE FAZER BEM E SERMOS CADA VEZ MELHORES
Infelizmente nada correu bem à nossa equipa que corria com carenagem Branca ostentando o nº 16 .
No sorteio do chassis calhou-nos em sorte – deveremos dizer azar - o chassis nº 13 ! 
 
Se alguns elementos haviam já treinado na véspera, e pelo que se viu com andamento na casa dos Segs 50 e 51, os restantes efectuaram a sua adaptação à pista nos treinos cronometrados de Sábado – 5 Pilotos para 30 minutos de treinos.

Apurada a grelha partíamos do 7º lugar. 

A partir deste momento tudo se conjugou para que fosse efectivamente a pior participação registada por cada um dos elementos envolvidos.
Basta dizer que tudo aconteceu ao nosso kart :
- Tirantes empenados
- Carburador entupido
- Pressão errada dos pneus
- Chassis empenado e mudança de kart  - este um pouco melhor do que o anterior
- Novamente carburador entupido
- Acelerador partido

Para melhor entenderem, às 07h30 minutos de corrida, a nossa equipa rolava em último, já com 80 voltas a menos do que o 1ºs, e a 20 voltas do antepenúltimo.  

Chegados às 06h30 da manhã dá-se a interrupção da corrida por avaria nas cronometragens.
É então decidido pela Organização efectuar uma nova corrida sendo a grelha formada pela classificação da corrida anterior e partida em linha.
Esta prova iria ter a duração aproximada de 07h00, e para a GOBULLING servia de incentivo a fazermos melhor com o novo kart.
Dada a partida verificamos mais uma vez que tínhamos condições para andar na parte superior da tabela.
No final do 1º turno estávamos em 10º.
Após 05h30 de corrida ainda podíamos pensar no 6º lugar e até no 4º - difícil mas possível. 
Eis então surgido novo golpe de teatro – Manga de Eixo partida e quase em simultâneo Chassis partido.
Trocamos de kart, que estava com o carburador entupido, voltamos à oficina, corrigimos o problema, e nada mais foi possível fazer do que aguentar novamente o penúltimo lugar.
Enfim, foi um fim de semana para esquecer, mas com 2 notas positivas :
- aprendemos a conhecermo-nos muito melhor e soubemos lidar com muito desportivismo com todas as adversidades
- rico peixinho que jantamos em Peniche

Fotos a cargo do Luís Gonçalves

Comments