Regulamento - XX Campeonato UMKarting (2017/2018)

Última actualização em 22-09-2016

Artigo 1: Definição e generalidades

O Campeonato da Karting da Universidade do Minho, é organizado com o apoio dos Serviços de Acção Social da Universidade do Minho. É constituído por uma série de 8 provas disputadas em kartódromos com frotas de aluguer. É um campeonato “open” podendo participar outras pessoas para além de funcionários docentes, não docentes, alunos e antigos alunos da UMinho.

As provas, denominadas Grandes Prémios (GP), realizar-se- ão a uma cadência de cerca de uma por mês durante o ano letivo. Os GP disputar-se-ão independentemente das condições climatéricas, a não ser que os responsáveis do kartódromo considerem não haver condições para disputar a prova.

Não é obrigatório que os concorrentes façam um número mínimo de provas. A calendarização, informações e inscrições dos GP serão dadas a conhecer na página oficial do campeonato UM-Karting (http://www.umkarting.com).

Artigo 2: Karts e Equipamento

2.1 - Os karts utilizados serão fornecidos pelos kartódromos.

2.2 - Não é necessário possuir qualquer tipo de equipamento especial. É obrigatório o uso de capacete fechado, mas os kartódromos fornecem-nos aos pilotos que o solicitarem. Aconselha-se o uso de luvas e roupa confortável, não demasiado larga.

Artigo 3: Ranking, Prioridades e Mangas

Os concorrentes que já tenham participado nalguma prova da época em curso ou das últimas épocas, constam de um Ranking UMKarting e de uma Tabela de Prioridades.

3.1 - O Ranking UM-Karting é uma seriação dos pilotos baseada nas suas melhores classificações. O ranking pretende ajudar ordenar os pilotos de acordo com o seu potencial, e tem como único objectivo ser uma ferramenta na distribuição equilibrada dos pilotos, sempre que for necessária a formação de grupos (e.g. GP por mangas/finais ou GP com corridas tipo ABC). Pormenores sobre os objetivos, método de cálculo e formação de grupos, podem ser encontrados na página do ranking.

3.2 - A Tabela de Prioridades, destina-se a estabelecer a ordem de preferência nas Inscrições, nos casos em que haja excesso de inscrições. A filosofia subjacente a esta tabela é dar prioridade aos pilotos que têm participado de forma mais assídua. Os pormenores de constituição da tabela, podem ser encontrados na própria página da tabela de prioridades.

Artigo 4: Inscrições

4.1 - A organização colocará na página oficial do campeonato (http://www.umkarting.com) a abertura das inscrições para cada GP, a lista de inscritos e informações acerca de cada prova (kartódromo, preço, horários, etc.).

4.2 - As Inscrições serão abertas prova a prova de acordo com o calendário. O número máximo de Inscrições será 1,5x(o número de karts disponibilizados por cada kartódromo).

4.3 - Todos os pilotos prioritários até ao limite do nº máximo de inscrições, que pretendam participar em determinada prova devem inscrever-se e efetivar o pagamento da totalidade da inscrição, até 5 dias antes da prova (e.g. sendo as provas realizadas preferencialmente aos sábados de manhã, a confirmação terá de ser feita até à segunda-feira anterior à data da prova). Só neste caso a inscrição será considerada efetiva.

4.4 - Os pilotos prioritários que não formalizem atempadamente a sua inscrição (cf. 4.3) serão ultrapassados na ordem de preferência desse GP por todos os pilotos que entretanto a formalizem.

4.5 - Cada GP só será realizado com um número mínimo de concorrentes que é estipulado pelo kartódromo.

4.6 - Se alguma prova não se puder realizar devido a condições climatéricas desfavoráveis, ou outras, a organização do campeonato tentará encontrar nova data para a sua realização. Se não for encontrada nova data anterior à data da prova seguinte, considera-se essa prova anulada.

Artigo 5: Estrutura organizativa

5.1 - A estrutura organizativa da UM-Karting é encabeçada pela Comissão Organizadora (CO) e tem como apoio durante o decorrer do campeonato de uma Comissão Desportiva (CDesp) e uma Comissão Diretiva (CDir).

5.2 - A CO é responsável pela relação com as administrações dos kartódromos, pela planificação das provas, e pela actualização da página oficial do campeonato (http://www.umkarting.com), mas em caso de necessidade tem a última palavra nas situações polémicas que possam por em causa os objetivos do campeonato.

5.3 - A CDesp terá como missão, em cada GP, fiscalizar e julgar o cumprimento do fair-play desportivo. Será encabeçado pelo Diretor de Prova (DP) e/ou pelo Diretor Adjunto (DA) e terá o apoio de uma equipa de comissários de pista (se o tipo de corrida o permitir), comissários de controlo de karts e comissário de controle de pesos.

5.4 - O DP, ou DA tem o poder de avisar os concorrentes com comportamento incorreto e de penalizar esses pilotos em caso de reincidência, ou diretamente se a falta for grave, tendo por base o regras definidas no artº 10.

5.6 - Antes de cada prova realizar-se-á um briefing com uma parte da responsabilidade da CO e outra parte da responsabilidade da CDesp, que é obrigatório para todos os pilotos.

5.7 – A Comissão Diretiva (CDir) só será ativada para decidir casos polémicos que não possam ser decididos durante as corridas pelo DP/DA ou pela CDesp.

Artigo 6: Atribuição e Controlo dos karts

6.1 - Haverá dois pilotos responsáveis pelos sorteio dos karts (COMISSÁRIOS DE KART) e pelo controlo da utilização dos karts durante o GP.

6.2 - O Sorteio dos karts será feito de modo a que cada piloto tenha karts diferentes em cada uma das corridas de cada GP. O conjunto de karts sorteado para a 1ª corrida do GP (e.g. de 801 a 818) serão os karts sorteados para as restantes corridas do GP. Os restantes karts (e.g. 819 a 821) serão os karts de substituição.

6.3 - A partir do sorteio, cada piloto terá obrigatoriamente de pilotar o kart que lhe foi atribuído, durante os treinos cronometrados, independentemente da opinião que tenha sobre a qualidade desse mesmo kart. Salvaguarda-se o caso dos responsáveis da frota informarem que um determinado kart sorteado não está em condições. Nesse caso o kart original será trocado.

6.4 - Os karts de substituição serão alinhados por ordem numa determinada zona de acesso à pista.

6.5 - O kart atribuído não poderá ser trocado durante os treinos a não ser que tenha uma avaria comprovada pelo proprietário da frota (ou seu representante).

6.6 - O kart suplente será o primeiro do alinhamento dos karts de substituição. A partir deste momento, o kart original voltará a ser utilizado nas corridas seguintes, se estiver reparado. Caso contrário, o kart de substituição passará a substituir o kart original em todas as corridas.

6.7 - No final dos treinos, se um piloto sentir que o kart que lhe foi atribuído não está em condições, pode sugerir a sua troca, ao comissário de kart ou ao responsável da frota (mas comunicada sempre ao comissário de kart).

6.8 - Qualquer troca de kart dará lugar a uma penalização para o final da grelha de partida, ficando livre o lugar a que teria direito pelo tempo dos treinos de classificação.

6.9 - Se houver vários pilotos a trocar de kart, serão ordenados no final da grelha de partida de acordo com o tempo efetuado nos treinos.

6.10 - Se vários pilotos desejarem trocar de kart no fim do treino, as trocas começarão a ser efetuadas por ordem inversa da classificação nos treinos cronometrados, entre os pilotos que pedem troca de kart.

6.11 - A ordem da atribuição dos novos karts será a do alinhamento dos karts de substituição.

6.12 - Se um piloto trocar de kart sem que o Comissário de karts tenha tido conhecimento, será desclassificado.

6.13 - O comissário de kart terá de ser SEMPRE avisados pelo piloto a troca. É da responsabilidade do piloto que pretenda trocar o kart, assegurar-se deste procedimento.

Artigo 7: Treinos

7.1 - A menos que haja impedimento por parte dos kartódromos, todas as corridas serão antecedidas de treinos cronometrados para formação da grelha de partida. Excetua-se o caso de provas com mangas e finais. Nestes casos a grelha de partida das finais será formada a partir dos resultados das mangas de classificação.

7.2 - A duração dos treinos será, por defeito 5 min, mas nunca inferior a esta duração.

7.3 - A ausência de participação nos treinos relegará o piloto para o último lugar da grelha de partida. Se houver mais que um piloto que não tenha participado nos treinos, os últimos lugares da grelha de partida serão seriados por tabela de inscrição, quando não for clara a ordem de chegada à pista.

7.4 – Se algum piloto não estiver na pré-grelha, com o kart parado, até 3 min após o último piloto ter cruzado a meta nos treinos de classificação, ficará colocado no final da grelha de partida, ficando livre o lugar a que teria direito pelo tempo dos treinos de classificação.

7.5 – O piloto, deve obrigatoriamente colocar-se na pré-grelha, usando o sentido normal da corrida, ou seja, não poderá em qualquer circunstância circular em sentido contrário ao da prova, inclui-se neste o espaço das boxes.

7.6 – Se houver mais do que um piloto nessas condições, ficarão nos últimos lugares da grelha de partida, mas ordenados de acordo com o tempo efetuado nos treinos. 

7.7 – A ordenação da grelha de partida será por ordem crescente da melhor volta efetuada por cada piloto. Excetuam-se os casos de pilotos que cheguem à pré-grelha após 3 minutos do último piloto ter terminado os treinos (serão ordenados a seguir) e os pilotos que tenham trocado de kart (que serão os últimos a integrar a grelha de partida).

Artigo 8: Formato das corridas

8.1 - Existem vários modelos de GP, dependendo do número de karts disponíveis e do número de pilotos inscritos. 

8.2. A duração das corridas será, por defeito, de 15 min, a não ser em situações especiais em que se justifique uma duração diferente.


Grandes Prémios de tipo 1 ("DUPLA" - escolhido por defeito)

0 - Este tipo de corrida efetua-se quando o nº de pilotos inscritos for, no máximo, igual ao nº de karts disponíveis: tipicamente até 18 pilotos para 18 karts disponíveis.

1 - Estes GP serão constituídos por duas séries de treino cronometrado e corrida (Corrida 1 e Corrida 2).

2 - Os karts são distribuídos aleatoriamente antes dos treinos cronometrados. Nenhum piloto terá o mesmo kart em ambas as corridas.

3 - A Grelha de partida da Corrida 1 é formada a partir da melhor volta efetuada na primeira série de treinos cronometrados. A Grelha de partida da Corrida 2 é formada a partir da melhor volta efetuada na segunda série de treinos cronometrados.

4 - Cada corrida conta como corrida individual para a classificação do campeonato de acordo com a seguinte pontuação:


Classif.

10º

11º

12º

13º

14º

15º

16º

17º

18º

19º

... 

Pont.

50

47

45

44

43

42

41

40

39

38

37

36

35

34

33

32

31

30

29

...


Grandes Prémios de tipo 2 ("ABC")

0 - Este tipo de corrida efetua-se quando o nº de pilotos inscritos for, no máximo, igual a uma vez e meia o nº de karts disponíveis: tipicamente entre 18 e 27 pilotos para 18 karts disponíveis.

1 - Os pilotos inscritos serão divididos por três grupos (A, B e C). 

2 - A distribuição dos pilotos pelos grupos, para os 6 primeiros GPs, será feita de acordo com a seguinte tabela de modo a criar 3 grupos equilibrados: 


Ordenamento do ranking10º11º12º13º...
Corrida tipo 2ABCCBAABCCBAA...


3 - Cada grupo fará duas corridas, cada uma delas com os elementos de cada um dos outros grupos (Corrida AB, Corrida BC e Corrida AC)

4 - Estes GPs serão constituídos por três séries de treino cronometrado e corrida (Corrida AB, Corrida BC e Corrida AC) em que cada piloto só pode disputar duas corridas.

5 - A ordem das 3 corridas (Corrida AB, Corrida BC e Corrida AC) será sorteada.

6 - Os karts são distribuídos aleatoriamente antes dos treinos cronometrados. Nenhum piloto terá o mesmo kart nas corridas em que participar.

7 - A Grelha de partida da corrida é formada a partir da melhor volta efetuada na série de treinos cronometrados correspondente.

8 - Cada corrida conta como corrida individual para a classificação do campeonato, de acordo com a seguinte tabela:


Classif.

10º

11º

12º

13º

14º

15º

16º

17º

18º

19º

... 

Pont.

50

47

45

44

43

42

41

40

39

38

37

36

35

34

33

32

31

30

29

...



Artigo 9: Lastros

9.1 - Existirão comissários para controlo de peso dos pilotos.

9.2 - Os pilotos serão pesados em condição de corrida, com capacete.

9.3 - Todos os pilotos serão pesados antes da primeira sessão de treinos. Aqueles que acusarem um "peso" menor que o "peso de referência", serão lastrados até que esse valor seja ultrapassado, sem limite máximo para o lastro. Em caso de indisponibilidade de lastro suficiente, o piloto será autorizado a participar, mas sofrerá as penalizações indicadas em 10.24.

9.4 - O Valor referência é 78 kg. Pilotos que registem um valor inferior, serão lastrados até atingir ou ultrapassar os 78 kg. Normalmente a unidade menor de lastro tem 2kg. (e.g. um piloto que registe 77 kg levará 2 kg de lastro).

9.5 - Na grelha de partida alguns pilotos serão controlados aleatoriamente.

9.6 - No final da prova, os 3 primeiros classificados serão sempre controlados.

9.7 - Cabe aos pilotos responsabilizarem-se pela verificação do seu peso e por darem uma margem suficiente a eventuais perdas de peso por desidratação, p. ex. -- A Direcção de Prova pode e deve fiscalizar por amostragem ou reclamação, o peso de qualquer piloto, em qualquer altura da prova, aplicando a respectiva penalização no caso de ser detectada alguma irregularidade.

Artigo 10: Comportamento em pista e Penalizações

10.1 - As decisões dos Comissários de Prova e do Director de Prova são plenas.

10.2 - O papel do comissário de prova não se resume a observar uma determinada curva, mas toda a secção entre o comissário anterior e o próximo. Pretende-se com isto evitar que entre dois comissários existam curvas e retas “ocultas”.

10.3 - O comportamento geral entre os pilotos terá de ser o de fair-play e respeito, independentemente do grau de experiência em pista.

TROCAS DE KART / ATRASO NA PRÉ-GRELHA

10.4 - Qualquer troca de kart ou atraso superior a 5 min no posicionamento da pré-grelha, dará lugar a uma penalização para o final da grelha de partida, ficando livre o lugar a que teria direito pelo tempo dos treinos de classificação. 

10.5 - Se um piloto trocar de kart sem que o Comissário de karts e/ou mecânico tenha tido conhecimento, será desclassificado.

STOP-AND-GO

10.6 - Falsas Partidas.

10.7 - Toque na traseira de outro kart à entrada de uma curva que obrigue ao piloto “tocado” a sair da trajetória e o piloto “tocador” ganhe posição.

10.8 - Ultrapassagem em que o piloto “ultrapassador” ganha posição, ao se “encostar” ao kart do piloto “ultrapassado” pelo interior da curva, quando o espaço deixado pelo piloto “ultrapassado” não é suficiente para que o kart do piloto “ultrapassador” execute a manobra sem que haja contacto – vulgo “calçadeira”.

10.9 - Quando o piloto que está a ser ultrapassado num reta, muda mais que uma vez de trajetória para evitar a ultrapassagem.

10.10 - Manobra perigosa ou condução antidesportiva.

10.11 - Reincidência de “warning” na mesma corrida.

10.12 - Ultrapassagem com 2 rodas fora da pista.

WARNING

10.13 - Se o piloto “ultrapassador” devolva a posição de imediato, caso tenha obtido a posição de forma irregular (e.g. com toque ou calçadeira).

10.14 - Toques na traseira do kart precedente perto da zona de travagem que não obriguem ao piloto do kart precedente alargar a trajetória.

DESCLASSIFICAÇÃO

10.15 - Comportamentos vingativos em pista, ou após a corrida, dependendo da gravidade, além da desclassificação, podem dar origem proibição de participar no GP seguinte em que se inscreva até ao impedimento de participar no campeonato UMKarting. Se a penalização não for permanente, se o piloto voltar a correr no campeonato UMKarting, fá-lo-á sob pena suspensa. Em caso de reincidência, será definitivamente impedido de participar em provas UMKarting.

CASOS OMISSOS

10.16 - Em caso de comportamento antidesportivo ou perigoso em pista, de forma reincidente ou especialmente negligente, a direção de prova, em conjunto com os comissários Desportivos de serviço nesse GP, podem aplicar uma pena adicional que se estenda para além do final da corrida em questão.

PENALIZAÇÕES APÓS O FINAL DA CORRIDA (acréscimo de 20 s na corrida)

10.17 - Quando o incidente se dá na parte final da corrida e não haja tempo disponível para o cumprimento do “Stop-and-go”.

10.18 - Em caso de Condução imprudente nas boxes, Atalhanços.

10.19 - Em situações que os CP e/ou a DP tenham dúvidas sobre a ocorrência, os pilotos envolvidos e possíveis testemunhas são chamados a prestar declarações, se a decisão for complicada pode ser pedida a presença da Comissão Executiva:

- Nesse momento é decidido manter a situação (ou seja não aplicar nada), ou atribuir a penalização correspondente ao “stop and go” (20 s). 

10.20 - No final de cada corrida um piloto pode fazer uma participação ao DP sobre uma ocorrência, o DP deve, nessa altura, decidir se a aceita a participação. Neste caso, deve chamar para prestarem declarações, os CP, os pilotos envolvidos e possíveis testemunhas:

- Nesse momento é decidido manter a situação (ou seja não aplicar nada), ou atribuir a penalização correspondente ao “stop and go” (20 s). 

10.21 - Há a possibilidade de penalização após final da corrida se existirem vídeos/imagens que possam indiciar algum tipo de comportamento incorreto.

SUSPENSÃO

10.22 - Qualquer comportamento insultuoso para com outro piloto, comissário de pista, diretor de prova, proprietário da frota ou público não será tolerado. Estas atitudes são penalizadas de acordo com a gravidade da situação, depois de analisada pela Comissão Executiva. A penalização poderá ir desde o último lugar da grelha de partida na participação seguinte do piloto visado, passando pela desclassificação do GP em causa, impedimento de participar em alguns GP, até ao impedimento de participar em provas UMKarting. 

10.23 - Qualquer agressão física para com outro piloto, comissário de pista, diretor de prova, proprietário da frota ou público não será tolerada. Estas atitudes são penalizadas com expulsão do campeonato por um período nunca inferior a um ano. A readmissão será solicitada à organização, que poderá, ou dar parecer positivo à readmissão.


PENALIZAÇÕES POR ACUMULAÇÃO DE PENALIZAÇÕES

10.24 - Comportamento incorreto recorrente, avaliado pela acumulação de penalidades, ao longo das provas é sujeito a penalização extra.

a) Acumulação de “stop-and-go” e/ou penalizações de 20 s: 

- Quando um piloto acumula 3 “stop-and-go” e/ou penalizações de 20 s durante um campeonato, partirá do último lugar na grelha de partida na corrida seguinte em que se inscreva.

Nota: as quedas da “asa dianteira” dos karts (vulgo “bicos saltitantes”) não contam para efeito de acumulação de “STOP-and-GO”

PENALIZAÇÕES POR ESCASSEZ DE LASTRO

10.25 - As penalizações por escassez de lastro, são:

- Nos treinos: 0,1s por cada kg em falta -- Exemplo 1: 100g a menos = 0,1s; Exemplo 2: 1,1kg a menos, 0,2s

- Na corrida: Acrescenta ao tempo total de corrida, 0,1s por cada kg em falta vezes o n.º de voltas efectuadas pelo piloto. -- Exemplo 1: 100g a menos, 15 voltas => penalização de 1,5s; Exemplo 2: 1,1kg a menos, 15 voltas => penalização de 3s no tempo total de corrida.

Artigo 11: Pontuação

11.1 - No final de cada GP serão atribuídos a cada piloto, as pontuações referidas no artigo 8. 

11.2 - Além do campeonato oficial existem outros campeonatos em paralelo, “rookies”, “85”, “Alunos” etc. As pontuações destes campeonatos, oficiosos são atribuídas de acordo com a seguinte tabela:


Classific.

10º

11º

12º

...

Pontuação

12

10

8

7

6

5

4

3

2

1

1

1

1


11.3 - No caso das corridas ABC (são 3 corridas) as classificações da corrida do meio, são acopladas às outras duas, piloto a piloto, de modo que em termos de classificação final, todos compitam contra todos, e não haja situações em que há uma corrida com apenas um participante de um dos subcampeonatos. 

11.4 - Quando for necessário recorrer aos formatos ABC, o critério de atribuição de pontos vai ser diferente conforme se trate da pontuação geral ou da de um dos subcampeonatos. Por exemplo no formato ABC, enquanto que na classificação geral continua a haver três 1.os, três 2.os, três 3.os etc., nos subcampeonatos, os resultados da corrida "B", são acrescentados ao grupo ("A" ou "C") em que o piloto não participou; Nesse caso, no grupo em que houver dois 1.os, não haverá  2º, pois o 2º passa a 3º, e o mesmo se passa com todas as outras posições. No campeonato geral, no grupo em que houver dois primeiros, o 3º continua a pontuar como 2º. -- Esta alteração, que vem evitar as incongruências referidas (e já muito discutidas), não se aplica ao campeonato geral, porque, além de não gerar incongruências, evita que metade da tabela fique sem pontuações para discutir (é uma maneira simples e cómoda de aumentar os lugares pontuáveis proporcionalmente com o nº de pilotos, sem ter que mexer na pontuação). 

11.5 - Pormenores mais detalhados sobre a atribuição dos pontos, podem ser solicitados à organização.

Artigo 12: Classificação do Campeonato

12.1 - Para a classificação final do campeonato contam as melhores N-2 corridas de cada piloto, sendo N o número de corridas do campeonato, 

12.2 - Em caso de empate, vencerá o piloto que tiver mais 1ºs lugares, 2ºs, 3ºs e assim sucessivamente até o desempate se verificar.

Artigo 13: Prémios

13.1 - A entrega dos Prémios de Campeonato será feita num convívio de encerramento da temporada.

Artigo 14: Responsáveis

14.1 - Os responsáveis pela organização do campeonato, e que constituem a Comissão Organizadora são:

Organizador principal:

Luís Cunha (Departamento de Física; UM - Braga: 253604066; lcunha@fisica.uminho.pt)
Outros membros da comissão organizadora: 
Rúben Azevedo, Fernando Gomes

14.2 - O Briefing será efectuado por um dos elementos da comissão organizadora do campeonato.

14.3 - Os responsáveis pela Comissão Desportiva são:

             DP - Rúben Azevedo (dp@umkarting.com)

             DA - outro piloto a designar pelo DP em caso de necessidade.

14.4 - Em caso de ausência do Director de Prova, o Director adjunto assumirá o papel de Director de Prova e será, ou serão, nomeados outros directores adjuntos em função das necessidades em cada GP. Em caso de ausência de ambos, serão nomeados directores de prova e adjuntos entre os pilotos inscritos em cada GP.

14.5 - Todos os pilotos inscritos poderão fazer parte de equipas de comissários de pista em corridas em que não participem. A recusa ou omissão da colaboração está sujeita a penalidade na competição.

Artigo 15: Funções Específicas

15.1 - Os cargos específicos e suas funções durante a prova serão:

i) COMISSÃO DESPORTIVA - Constituída pelos Director de prova, directores adjuntos e Comissários da prova em causa, tem a responsabilidade fazer cumprir o regulamento, dentro e fora da pista, de analisar os casos que necessitem de uma análise mais profunda e ouvir pilotos envolvidos em casos dúbios, caso tenham necessidade de esclarecer situações específicas ocorridas em pista. 

ii) DIRETOR DE PROVA e DIRETOR(ES) ADJUNTO(s) - Têm a função de fazer cumprir o regulamento, dentro e fora da pista em cada corrida que dirijam. Têm obrigação de aplicar as penalizações previstas no regulamento. O diretor de prova e adjunto deve, de maneira respeitosa, manter o ambiente de lazer e competitividade homogénea e limpa. (Material de apoio: um colete laranja, caderno, caneta, placas ou bandeiras, placas com numeração e um radio).

iii) COMISSÃO EXECUTIVA - Director de Prova, Director(es) Adjunto(s) e membros da Comissão Organizadora.

iv) COMISSÁRIOS DOS PESOS - Há 2 por GP. Têm o objetivo de registar o peso dos pilotos e controlar os lastros de cada piloto. Têm de fornecer ao director de prova, ou ao director adjunto, por escrito, as penalizações de peso a atribuir (Material de apoio: balança, colete verde, tabela com nome e número dos pilotos, caneta).

v) COMISSÁRIOS DE KART - Há 2 por GP. O seu objetivo é controlar os karts atribuídos aos pilotos por sorteio e eventuais trocas de karts. Cada troca de kart solicitada ou forçada é registada e deve fazer aplicar as sanções relacionadas com trocas de kart que não sejam devidas a avarias mecânicas. (Material de apoio: colete verde, tabela com pesos e números dos karts e caneta).

vi) COMISSÁRIO - Tem a tarefa de controlar a zonda de pista atribuída e informar rapidamente o director de prova, ou director adjunto, via rádio (ou outro meio disponível), e registar as infracções detectadas. (Material de apoio: um colete verde, caderno, caneta e um radio).

vii) AJUDANTE - Acompanha um comissário e tem a tarefa de o ajudar a decidir as situações de prova. 

15.2 - Todos os pilotos são requisitáveis para as diversas funções necessárias ao bom desenrolar do programa. 

Artigo 16: Casos Omissos

§- Cabe à comissão organizadora deliberar sobre casos omissos do regulamento.